Todos os registros

Campanha Publicitaria Círio: do Pará para o Brasil

684
Campanha Publicitaria Círio: do Pará para o Brasil
Alessandro Filizzola

O presente trabalho teve como objetivo o desenvolvimento de uma campanha de divulgação do Círio de Nazaré para além das divisas do Estado do Pará, onde ele acontece. O objetivo da campanha desenvolvida é familarizar a população com este evento e divulgar valores da cultura e  identidade paraense, através de uma abordagem institucional, e preparando terreno para que, no futuro, ações promocionais sejam realizadas.

Leia mais...

O círio civil na imprensa paraense: um estudo dos jornais a Boa nova, a Constituição e o Liberal do Pará

683
O círio civil na imprensa paraense: um estudo dos jornais a Boa nova, a Constituição e o Liberal do Pará
Lorena Saraiva da Silva

O Círio de Nossa Senhora de Nazaré é a romaria que, segundo o IPHAN (2006), movimenta a cidade de Belém no mês de outubro reunindo mais de dois milhões de pessoas nas ruas da cidade. Autores como o historiador Carlos Rocque apontam que a devoção a Nossa Senhora de Nazaré iniciou na cidade da Vigia. Em Belém, o primeiro Círio aconteceu em 1793, após o caboclo Plácido ter encontrado uma imagem da Virgem de Nazaré. Em 1878 e 1879 aconteceu o Círio Civil, romaria realizada sem a presença de padres, apenas pela sociedade civil. Este trabalho tem por objetivo observar e analisar a cobertura jornalística do Círio Civil, em Belém, realizado nos dois anos mencionados, buscando identificar as semelhanças e diferenças na cobertura dos jornais paraenses sobre o assunto. Entre os autores que ancoraram este estudo estão Eliseo Verón (2004), Pierre Bourdieu (2000) e Maurice Mouillaud (2002). A pesquisa foi feita a partir da análise das notícias publicadas nos meses de setembro e outubro dos jornais A Boa Nova (1871), A Constituição (1874) e O Liberal do Pará (1869) em 1878 e 1879. Os jornais foram selecionados a partir da periodicidade, linha editorial e disponibilidade no acervo consultado da Biblioteca Pública Arthur Vianna.

Leia mais...

Impressão da fé: leitura gráfica e publicitária de cartazes do Círio de Nazaré

367
Impressão da fé: leitura gráfica e publicitária de cartazes do Círio de Nazaré
Priscila Carvalho Castro

A partir da perspectiva da publicidade e da propaganda, este trabalho de conclusão de curso pretende estudar os cartazes criados e produzidos para divulgar o Círio de Nazaré não só como peça gráfica como também peça publicitária evangelizadora. O estudo se dará através de pesquisas e da identificação dos processos criativos e do desenvolvimento gráfico ao longo destes mais de 200 anos de Círio, que inclui a inserção das cores, da fotografia e a criação de um padrão para o título. Por fim, apresentamos uma proposta de criação de um cartaz para o Círio como forma de praticar os ensinamentos recebidos ao longo do curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda.

Leia mais...

Cìrio 3.0: A divulgação de um evento religioso na era da participação

681
Cìrio 3.0: A divulgação de um evento religioso na era da participação
Layze Machado da Silva

Este trabalho estuda, sob a ótica da comunicação, uma das maiores manifestações religiosas do mundo, o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, realizado todo mês de outubro em Belém do Pará. A análise observa a relação entre campo religioso e campo midiático, partindo para o estudo da relação do evento com a mídia e a divulgação realizada através desses meios por seus organizadores que são: Basílica Santuário de Nossa Senhora de Nazaré e Diretoria da Festa de Nazaré. Neste estudo, para efeito metodológico, o Círio será visto como uma marca, em função de seus atributos, benefícios, valores, cultura e personalidade que a identificam e fidelizam seus consumidores. Analisa também, a inserção dessa marca no âmbito das redes sociais na internet, tendo como objeto de estudo o conteúdo produzido pelos organizadores para o facebook, analisado a partir dos conceitos do marketing 3.0.

 

Leia mais...

Em Belém, o vai e vem da fé: jornais, memória e Círio de Nazaré

366
Em Belém, o vai e vem da fé: jornais, memória e Círio de Nazaré
Phillippe Sendas de Paula Fernandes

O mês de outubro é marcado por um período de intensa movimentação em Belém, capital do Pará. É a ocasião em que se realiza há 220 anos o Círio de Nossa Senhora de Nazaré. A grande movimentação também envolve a mídia paraense. Os jornais preparam edições especiais sobre a manifestação religiosa e cultural, que já tem lugar reservado na cobertura midiática. Diante dessa forte relação entre mídia e Círio de Nazaré, surge a proposta deste trabalho: refletir sobre a contribuição dos jornais publicados em Belém durante o século XIX, na construção da memória do Círio de Nazaré. Esta pesquisa qualitativa, de caráter exploratório, recorre à proposta metodológica desenvolvida por Michael Schudson (1993), conhecida como história propriamente dita, em que se trabalha a relação entre os meios de comunicação e as mudanças sociais. Durante o período definido, três fases, divididas em décadas, foram levadas em consideração: o início da produção periódica em Belém (1820-1830), o surgimento dos jornais diários (1840-1850) e as mudanças tecnológicas na produção das folhas que assumiram um caráter empresarial (1880-1890). Ao todo, foram seis jornais selecionados para análise, de acordo com a disponibilidade no acervo para consulta e a relevância na história da mídia impressa da capital paraense: Treze de Maio (1840), Diário do Gram-Pará (1853); A Epocha (1858); Diário de Belém (1868); A Província do Pará (1876); O Apologista Christão Brazileiro (1890). A estruturação teórica deste trabalho é baseada em discussões sobre os lugares de memória (NORA, 1993), o caráter social da memória (HALBWACHS, 2003) e as disputas na sua constituição e manutenção (POLLAK, 1989,1992). Autores que trabalham a história do Círio de Nazaré e da imprensa no Brasil e no Pará também foram fontes bibliográficas utilizadas (SODRÉ, 2011; ROCQUE, 1981; BARBOSA, 2007, 2010; MAUÉS, 2012; COELHO, 1989, 2008; ALVES, 2002, 2012). Nos jornais, de notas de leilões a pequenos anúncios, de “festa popular do povo paraense” a “idolatria de iludidos”, a memória do Círio de Nazaré vem sendo construída desde as primeiras décadas da imprensa de Belém.

Leia mais...
Projeto desenvolvido por