Todos os registros

Círio de Nazaré: a festa da fé como comunhão solidária – uma análise teológica a partir da concepção de fé de Juan Luis Segundo

676
Círio de Nazaré: a festa da fé como comunhão solidária – uma análise teológica a partir da concepção de fé de Juan Luis Segundo
Josimar da Silva Azevedo

O objetivo da tese é demonstrar que o Círio de Nazaré, em Belém do Pará, é uma expressão autêntica da fé cristã e da identidade eclestial. A comunhão humana e a solidariedade social presentes no Círio de Nazaré como elementos estruturantes de toda a Festa de Nazaré, constituem, do ponto de vista antropológico, uma referência importante para identidade regional. Do ponto de vista teológico constitui um "sinal dos tempos" (MT16,3) privilegiado do processo pedagógico da revelação divina (DV,15), da fé cristã e da identidade católica. A pesquisa dialogou o Círio de Nazaré com a teoria sobre “ritual”, da Antropologia Social, e com a concepção de fé do teólogo uruguaio Juan Luis Segundo. Neste contexto, foram apresentadas as principais considerações teológicas sobre a festa de Nazaré,que se articulam em torno das seguintes afirmações: como festa, Kairós da fé, o Círio de Nazaré é celebração da acolhida da Boa nova de Cristo, da conversão ao projeto de Jesus, da vivência dos valores do Reino, pelo testemunho de Maria peregrina mãe de Jesus, discípula fiel, realizadora da palavra, imagem da Igreja; o desejo, a vivência, e o anúncio da comunhão - solidária no círio, como festa da fé cristã - católica realiza e atualiza, na Igreja particular de Belém do Pará, o misterio da salvação, como Boa Nova do Reino, sob o signo da opção preferencial pelos pobres e da libertação integral; o Círio de Nazaré, sob a  perspectiva da comunhão-solidária, expressa a realidade de uma igreja como comunhão e participação de todo o povo de Deus, alicerçada nos sacramentos da iniciação cristã (batismo-confirmação-eucaristia) e, como tal, é uma afirmação da pertença e identidade eclesial.

 
 
 

 

 
 

 

 
 
 
 
 
Leia mais...

Belém em festa: a economia lúdica da fé no Círio de Nazaré

371
Belém em festa: a economia lúdica da fé no Círio de Nazaré
Lucília da Silva Matos

Esta tese analisa as transformações do processo de longa duração de modernização das práticas de lazer no Círio de Nazaré, com ênfase em aspectos econômicos, políticos e culturais, mormente os sucedidos a partir de 1980, período caracterizado pela intensificação da globalização econômica e técnica e da mundialização da cultura, no qual essas transformações dão à cultura, e mais  especificamente às festas populares, lugar de destaque na dinâmica sociocultural. Ressituadas por novos aparatos técnicos e pela indústria do turismo, essas festas tornaram-se grandes atrativos do mercado de bens e serviços culturais, via de regra, apoiadas pelas instituições estatais (União, estados e municípios) em consonância com agências transnacionais e a iniciativa privada interessadas nos dividendos políticos e econômicos dos negócios que giram em torno da festa e na visibilidade de determinadas cidades. Uma dessas festas é o Círio - manifestação com características próprias do catolicismo popular que acontece desde o século XVIII na cidade de Belém e que passa por um progressivo processo de espetacularização. É visível a intensificação de investimentos no Círio (e sua institucionalização por parte da diretoria da festa, sua principal organizadora, composta por leigos e sacerdotes da igreja) por empresas estatais e privadas, constituindo o que denominamos de economia lúdica da fé. A categoria de análise economia lúdica da fé diz respeito aos processos econômicos de produção, circulação e consumo de produtos, imagens, mensagens e práticas simbólicas presentes no espaço/tempo de alguns eventos populares; estes são dinamizados por práticas culturais em que a fé assume um lugar capital, mediada pelo prazer, pelo encontro, pela diversão. Os mecanismos de ordem econômica, política e cultural, contemporaneamente incorporados ao Círio pelos distintos grupos organizadores (igreja, estado, empresas, produtores culturais, etc.), e aqueles que constituem e/ou ressignificam os símbolos, práticas, espaços e temporalidades são analisados segundo a audiência ativada pela fé conferida à santa padroeira e as possibilidades de vivências lúdicas que se tornam o eixo dinamizador de um processo que mobiliza milhares de pessoas a participarem de inúmeras atividades e consumirem imagens e produtos, gerando o consequente retorno financeiro para os negócios e a recompensa social conquistada pela circulação de outro tipo de moeda: prestígio e reconhecimento dos organizadores, patrocinadores e apoiadores, dos participantes em geral e dos turistas.

Leia mais...

Círio de Nazaré: a festa da fé e suas (re)significações culturais - 1970 - 2008

332
Círio de Nazaré: a festa da fé e suas (re)significações culturais - 1970 - 2008
Ivone Maria Xavier de Amorim Correa

Esta tese tem como objeto de estudo a Festa de Nazaré, que acontece há mais de duzentos anos na cidade de Belém do Grão Pará. O marco de referência na construção desta pesquisa é a década 70 do século XX, quando a procissão de festividade passa a sofrer uma série de modificações, advindas, sobretudo, a partir do processo de crescimento e urbanização dos espaços da cidade que a abriga. Sua estrutura organizacional é composta de três partes. A primeira, dois capítulos pretende discutir a Festa de Nazaré em seu movimento de transformação e sua relação com o espaço da cidade. Também procura mostrar como novas lógicas culturais vão se agregando à Festa e como essas lógicas dialogam entre si e com a própria Festa. A segunda parte, dividida em três capítulos, aborda as tensões e reinvenções da e na Festa, materializadas no diálogo que diferentes setores mantêm com os signos "tradicionais" do Círio, como a corda, o manto e o almoço. A terceira parte, também com três capítulos, evidencia a relação que a Festa de Nazaré trava com seus espaços profanos: a Festa da Chiquita, o Auto do Círio e o Arraial de Nazaré, desvelando o embate político proveniente da confluência de disputas de poder pelos vários setores sociais que na contemporaneidade, se digladiam por seus domínios. Todo o corpo textual desta tese encontra amparo nas fontes consultadas, e a leitura e a interpretação dos fenômenos investigados estão subsidiadas nas ideias de teóricos contemporâneos da História Social, como Bakhtin (1996), Bhabha (2007), Canclini (2006), Hall (2006), Hobsbawm (1995) e Martin-Barbero (2006).

 

Leia mais...

O manto, a mitra e o microfone: a midiatização do Círio de Nazaré em Belém do Pará

370
O manto, a mitra e o microfone: a midiatização do Círio de Nazaré em Belém do Pará
Regina Alves

Estuda o Círio de Nazaré utilizando a perspectiva da midiatização da religião para atualizar a reflexão sobre as tensões entre o catolicismo oficial e o catolicismo popular, que marcam a Festa de Nazaré desde sua origem. Registra o início da construção do espetáculo midiático da romaria pela TV Marajoara, em 1961. Analisa a produção e transmissão do Círio pela TV Nazaré, usando as emissões da TV Liberal para efeito de comparação. Recupera historicamente as intervenções disciplinadoras verificadas na manifestação e apresenta resultados de observações de campo realizadas no período 2007-2009, pelas quais é possível verificar significativas mudanças na organização da Festa de Nazaré e de sua romaria principal.

Leia mais...

Festa à brasileira: significados do festejar no país que “não é sério”

331
Festa à brasileira: significados do festejar no país que “não é sério”
Rita de Cássia de Mello Peixoto Amaral

A festa “à brasileira”, constitui uma linguagem simbólica para a qual são traduzidos muitos dos valores nacionais. Ela é capaz de mediar diferenças sociais e culturais, estabelecendo “pontes” entre grupos e suas realidades e utopias. Baseada nestas premissas, este trabalho analisa algumas das grandes festas realizadas em cinco regiões do Brasil (Oktoberfest, no sul, Festa de N. Sra. De Achiropita e de Peão Boiadeiro, no sudeste, São João, no nordeste, Círio de Nazaré e Festa de Parintins, no norte e as Festas do Divino Espirito Santo no centro-oeste), mostrando seus múltiplos sentidos: como forma de organização popular, de expressão artística, modo de ação social, expressão de identidade cultural e afirmação de seus valores particulares no contexto nacional.

Leia mais...
Projeto desenvolvido por