Círio de Nazaré: a festa da fé e suas (re)significações culturais - 1970 - 2008

332
Círio de Nazaré: a festa da fé e suas (re)significações culturais - 1970 - 2008
Ivone Maria Xavier de Amorim Correa

Esta tese tem como objeto de estudo a Festa de Nazaré, que acontece há mais de duzentos anos na cidade de Belém do Grão Pará. O marco de referência na construção desta pesquisa é a década 70 do século XX, quando a procissão de festividade passa a sofrer uma série de modificações, advindas, sobretudo, a partir do processo de crescimento e urbanização dos espaços da cidade que a abriga. Sua estrutura organizacional é composta de três partes. A primeira, dois capítulos pretende discutir a Festa de Nazaré em seu movimento de transformação e sua relação com o espaço da cidade. Também procura mostrar como novas lógicas culturais vão se agregando à Festa e como essas lógicas dialogam entre si e com a própria Festa. A segunda parte, dividida em três capítulos, aborda as tensões e reinvenções da e na Festa, materializadas no diálogo que diferentes setores mantêm com os signos "tradicionais" do Círio, como a corda, o manto e o almoço. A terceira parte, também com três capítulos, evidencia a relação que a Festa de Nazaré trava com seus espaços profanos: a Festa da Chiquita, o Auto do Círio e o Arraial de Nazaré, desvelando o embate político proveniente da confluência de disputas de poder pelos vários setores sociais que na contemporaneidade, se digladiam por seus domínios. Todo o corpo textual desta tese encontra amparo nas fontes consultadas, e a leitura e a interpretação dos fenômenos investigados estão subsidiadas nas ideias de teóricos contemporâneos da História Social, como Bakhtin (1996), Bhabha (2007), Canclini (2006), Hall (2006), Hobsbawm (1995) e Martin-Barbero (2006).

 

PDF

Projeto desenvolvido por